Vanessa

14 setembro, 2011

Free Tibet ou Free Me?

Consolação...Dr. Arnaldo...Heitor...tudo parado...passei uns 40 minutos de sempre no trânsito, mas hoje foi mais de uma hora...resolvi ouvir um dos meus muitos cd's de música tibetana, daqueles com uma leve pitada de pop, sintetizadores e arranjos bem feitos. Libertador.

... FREE TIBET....FREE TIBET...e percebi que o Tibet está livre. Não só livre, mas escancarado dentro de algumas pessoas. Nós é que somos presos, tomados, de certa forma escravizados, por tudo o que nos rodeia...pelo Sistema, que envolve a sociedade, pela religião de Mercado que faz com que passemos 24 horas por dia dependente dele, seja lá o que cada um faça da vida, tudo é feito para que o Sistema continue andando para frente e se você é ateu...desista...no mínimo você ora, adora e se prostra para o Mercado todos os dias.
O Tibet? Que bom que as músicas que vem para o ocidente vem com arranjo, sintetizadores, senão jamais conseguiríamos ouvir aquilo que é tão alienígena. Foi tomado pela China, foi apertado, esmagado mas explodiu para o mundo todo e hoje está dentro do coração de alguns mais...muitos mais...independente de cor, nacionalidade e religião.

O Tibet está mais livre do que nunca e hoje, dentro do carro, com vidros bem fechados, estavam eu e o Tibet inteiro.


"Ever I will seek you..." Pintura que fiz após ler alguns livros da exploradora Alexandra David-Neel (1868-1969)- primeira mulher ocidental a entrar no Tibet e a ser nomeada de Lama.